Busca do site
menu

Tabagismo e Covid-19 em debate na ENSP

ícone facebook
Publicado em:21/10/2020

Os Desafios sanitários de um país produtor de tabaco durante a pandemia da Covid-19 foi o tema de mais um Centro de Estudos da Escola Nacional de Saúde Pública (Ceensp/ENSP/Fiocruz). A atividade objetivou mostrar as evidências da relação entre tabagismo e Covid-19, as táticas utilizadas pela indústria tabagista ao longo da pandemia e a propagação dessas ações nas mídias sociais. O evento contou com a participação da pneumologista da ENSP/Fiocruz, Margareth Dalcomo, a pesquisadora e ex-chefe do Secretariado da Convenção-Quadro para Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde (OMS), Vera da Costa Silva, a coordenadora do Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP), Valeska Figueiredo, além da coordenação da pesquisadora do Cetab Silvana Ribano.

Para mostrar as evidências da relação entre tabagismo e Covid-19, a pneumologista da ENSP/Fiocruz, Margareth Dalcomo, fez fez um panorama do atual momento da pandemia em relação aos fumantes e as causas que podem surgir posteriormente. “O impacto do tabagismo na morbimortalidade está longe de ser desprezível, ele precisará ser quantificado de ambas as redes, tanto pública quanto particular, e explicitada para ter uma informação numérica”, salientou a pesquisadora alertando que a maior taxa de mortalidade na pandemia foi de pessoas acima de 70 anos que já tinham uma doença pulmonar crônica devido ao tabagismo. A pesquisadora reforçou sobre o risco de maior gravidade do novo coronavírus entre pessoas que tem câncer de pulmão.
Além disso, a pesquisadora lembrou que o Brasil tem sido protagonista no controle de tabaco, agindo de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para o controle da substância. Por isso, junto com os seus alertas sobre a Covid-19, a pesquisadora também salientou sobre os males de um cigarro que vem se popularizando, os cigarros eletrônicos, observando, também, a relação que ele tem com a doença. “O uso dos cigarros eletrônicos é uma catástrofes porque sabemos o número de mortes inclusive no Brasil. Os cigarros eletrônicos são trágicos e nocivos.”.

Já a pesquisadora e ex-chefe do Secretariado da Convenção para Controle do Tabaco da OMS, Vera da Costa Silva, demonstrou as táticas utilizadas pela indústria tabagista durante a pandemia. Para ilustrar, a pesquisadora mostrou as ações realizadas pelas grandes indústrias tabagistas para retomar um destaque no cenário brasileiro. “A indústria está posando junto com as Secretarias de Saúde ajudando no combate a Covid-19 e se aproveitando dessa vulnerabilidade para se promover. Ela interfere muito nos países fumicultores, por exemplo, promovendo a importância de impostos gerados através dos seus produtos”, alertou a pesquisadora explicando que todo o processo da cadeia produtiva de trabalho, desde o fornecimento das sementes até a comercialização do tabaco fica na mão dessas mesmas indústrias. 

Em sua fala, a pesquisadora além de alertar sobre os males do tabaco, também mostrou os impactos que ele tem, não só em questões da saúde mais também no meio ambiente, como as devastações ambientais que acontecem devido às plantações e os lixos gerados pelos cigarros. Quais as respostas pra isso? A pesquisadora, finalizando a sua fala, respondeu que “todas as áreas do governo precisam trabalhar no tema de uma forma a privilegiar a sociedade, e não as indústrias.”.

A atividade foi finalizada pela coordenadora do Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde da ENSP, Valeska Figueiredo Tabaco que falou sobre a propagação dessas ações — mostradas anteriormente pelas outras duas palestrantes — nas mídias sociais. Para isso, a pesquisadora mostrou o “Painel temático Covid-19 e fumante”, criado com a chegada do novo coronavírus, dentro da Plataforma de Ciência de Dados Aplicada em Saúde. 
Em sua breve fala, a pesquisadora explicou o funcionamento do painel, explicando sobre a metodologia das publicações coletadas. “O painel tem um motor de busca que mostra sites e blogs de notícia que mencionam a relação de Covid-19 e tabaco”, concluiu. 


Nenhum comentário para: Tabagismo e Covid-19 em debate na ENSP